quarta-feira, 28 de junho de 2017

JUSTIÇA SUSPENDE DEMOLIÇÃO DE IMÓVEIS EM ARAGUAÍNA. ARAGUAÍNA NEWS


Segundo prefeitura, prédios localizados na região da Feirinha foram condenados pela Defesa Civil. Uma audiência será realizada para discutir o assunto.



Imóveis antigos localizados na região da Feirinha são demolidos (Foto: Marcos Humberto/TV Anhanguera)

A Justiça aceitou o pedido da Defensoria Pública para paralisar a demolição de imóveis localizados em uma região conhecida como Feirinha, em Araguaína, norte do Tocantins, na noite desta terça-feira (27). Segundo a prefeitura da cidade, estavam condenados pela Defesa Civil. Durante a manhã comerciantes ficaram revoltados com a ação. Além de ser uma área de comércio, o local é frequentado por usuários de drogas.
O secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura da cidade, Júnior Marzola, que está a frente da demolição, disse que na tarde dessa quarta-feira, haverá uma audiência para discutir o assunto.
"As 14h vamos fazer uma audiência, conforme o cronograma de ações que nós já tínhamos para oferecer para os diversos grupos e gente que estava lá, as formas de indenização ou não, levando em consideração que os imóveis que tinham sido condenados pela defesa civil, todos foram desmanchados. Lá ficaram mais de 30 imóveis que não são foco desse tipo de ação, que foi executado ontem."
Segundo ele, a ação de demolição foi realizada de forma surpresa para garantir a segurança dos trabalhadores.
"Temos nossas estratégias necessárias para a segurança dos nossos funcionários. Não podíamos e não deviamos, mexendo com o público que nós estávamos mexendo. São pessoas que a gente desconhece as reações e sabe que é gente ligada ao tráfico de drogas. Não podemos sair alardeando em se tratando daquele tipo de ação. Então, infelizmente, nós temos que ter estratégia para a defesa do nosso trabalhador", afirma.
Ainda de acordo com o secretário a Defensoria não foi avisada da ação por causa de uma falha de comunicação.
"Aconteceu um desencontro de informações, de comunicação e a gente vê isso com muito pesar porque no início do processo nosso subprocurador procurou doutor Breno e ele não pode nos atender. Nós não podíamos parar um processo que começou no dia 2 de abril em um compromisso com o Ministério Público para nós darmos andamento em um vazio social que existia dentro da feirinha e na aplicação dos recursos que vai moldar a cara da região e melhorar a qualidade de vida, tanto para os usuários quanto para os comerciantes e os frequentadores da Feirinha que agora vai se chamar Nova Feirinha", disse.

Entenda

A ação de demolição começou durante a madrugada e foi acompanhada por homens da Defesa Civil, Força Tática e assistentes sociais e profissionais da saúde. Os imóveis foram derrubados por tratores.
Segundo a prefeitura, os comerciantes da Feirinha sabiam que esses imóveis seriam derrubados. Além disso, as estruturas antigas ofereciam riscos para a população. "Esses imóveis que tinham um 'x' vermelho foram condenados em situação de habitação ou de comércio. Foi feito pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e iluminação pública. Esses imóveis não tinham que ser habitados ou usados como forma de comércio em qualquer forma", explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Araguaína, Júnior Merzola.
O comerciante Aroldo da Silva trabalhou durante 30 anos no local e teve que tirar às presas tudo o que tinha. "Criei minha família trabalhando aqui dentro. Eu queria que mesmo que fosse para tirar, me avisasse porque eu levaria minhas coisas para casa, porque eu tenho onde botar".
A Defensoria Pública informou que não foi avisada. "Eu estou revoltado com o que está acontecendo aqui. Nós tivemos notícia pela imprensa de que havia um estudo sobre a reurbanização da área, encaminhamos dois expedientes para o município perguntando sobre o que estava acontecendo, nos oferecendo para participar da organização disso e fomos completamente excluídos dessa ação", argumentou o defensor público Sandro Ferreira.
O defensor disse ainda que o ato foi ilegal. "Chego aqui e me deparo com uma situação de desocupação, com os moradores sendo desalojados sem nenhuma notificação prévia. Isso é completamente ilegal. Vamos entrar com uma ação judicial para tentar embargar o que está acontecendo aqui".
G1 Tocantins 

Sobre o Autor

Araguaina News

Autor & Editor

Araguaína News é uma página destinada a compartilhar informações com toda a comunidade de Araguaína e Região.

 
ARAGUAÍNA NEWS © 2015 - Editado por: Romilson Gomes | > Templateism.com