quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Maioria dos interessados em adoção quer crianças de até três anos no Tocantins. Araguaína News


Número de pessoas que querem adotar é quase cinco vezes maior que o de crianças disponíveis. O problema é que o perfil desejado pelos pais adotivos não coincide com o dos menores.


Adoção no Tocantins (Foto: Rondinelli Ribeiro/TJTO)
Adoção no Tocantins (Foto: Rondinelli Ribeiro/TJTO)
O Tocantins tem atualmente 39 crianças aptas para serem adotadas. Por outro lado, há 191 pessoas habilitadas a adotar. Ainda assim, a fila de adoção anda a passos lentos. O problema, segundo a Justiça, é que o perfil desejado pelos pais adotivos não coincide com o das crianças e adolescentes disponíveis. Entre as barreiras estão a idade e cor das crianças.
"O grande número de pessoas na fila, não é devido à burocracia, mais sim ao perfil de crianças e adolescentes almejados pelos pretendentes, pois nem sempre o perfil das crianças e adolescentes disponíveis no sistema coincide com as solicitações do adotante", explica o juiz Frederico Paiva Bandeira de Souza, do Juizado Especial da Infância e Juventude de Palmas.
De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça, 82,05% das crianças aptas à adoção no Tocantins são pardas e 69,23% possuem irmãos. Por outro lado, dos 191 interessados em adoção, 66,49% não aceitariam adotar irmãos.
Em 59,6% dos casos, a procura é por crianças com até três anos de idade. Além disso, 6,81% dos pretendentes só aceitam adotar crianças brancas e 55,5% adotariam menores de qualquer cor.

Processo de adoção

O juiz explica ainda que a adoção deve seguir alguns passos. Os interessados passam por uma avaliação e um curso de preparação, além de entrevistas. Na fase final da adoção, os pais adotivos e a criança compatível passam por um estágio de convivência monitorado.
"Se o relacionamento correr bem, a criança é liberada e o pretendente ajuizará a ação de adoção. Ao entrar com o processo, o pretendente receberá a guarda provisória com validade até a conclusão do processo e a criança passa a morar com a família", afirmou.
A família passa a receber visitas periódicas e após uma avaliação final, os pais adotivos recebem a sentença de adoção e um novo registro de nascimento com mudança no sobrenome da criança.

Cadastro nacional

Nesta segunda-feira (20), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentou uma nova versão do Sistema Integrado do Cadastro Nacional de Adoção e do Cadastro Nacional de Crianças Acolhidas. O objetivo é melhorar o processo de adoção em todo o país.


G1 To


Sobre o Autor

Araguaina News

Autor & Editor

Araguaína News é uma página destinada a compartilhar informações com toda a comunidade de Araguaína e Região.

 
ARAGUAÍNA NEWS © 2015 - Editado por: Romilson Gomes | > Templateism.com